Como abrir um CNPJ?

Pessoas abrem empresas por diversos motivos. Alguns enxergam o dever de formalizar o negócio, outros porque a empresa em que prestam serviços exige a partir de certo ponto que vire PJ para continuar a relação de trabalho, enfim, mas você sabe como abrir um CNPJ?

Vários são os motivos, motivos diferentes. Mas todos tem uma coisa em comum que costumam não enxergar. Abrir uma empresa ultrapassa a mera obrigação, pois pode ser muito vantajoso se feito da maneira correta.

Para que isso aconteça com resultados, vamos te contar o que pensar e analisar antes de abrir uma empresa, e de quebra, mostrar como fazemos aqui na Prímor para regularizar seu negócio de forma rápida e barata.

Leia atentamente até o final, e tire essas dúvidas de uma vez por todas!

O que você vai encontrar aqui?

  • CINCO COISAS QUE DEVO PENSAR ANTES DE INICIAR UM NEGÓCIO;
  • ESTOU COMEÇANDO, O QUE É MELHOR PARA MIM?;
  • ANALISANDO MINHA ATIVIDADE ;
  • ENQUADRAMENTO TRIBUTÁRIO;
  • COMO FAZEMOS PARA ABRIR O SEU CNPJ;
  • QUAIS OS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS?.

Sabemos que antes de um negócio ser um negócio, ele é uma ideia. E para que essa ideia renda os frutos esperados é exigido muito trabalho e coragem. Os riscos envolvidos numa empresa podem assustar, e às vezes matar uma ideia promissora. Mas existe um caminho que não diminui os riscos, mas ajuda a mapeá-los a fim de que consiga indicar a trilha a percorrer, e o que irá de fato enfrentar nessa jornada.

CINCO COISAS QUE DEVO PENSAR ANTES DE INICIAR UM NEGÓCIO

Na construção de uma empresa vários fatores são levados em consideração. Junto com a ideia, muitos questionamentos internos são feitos, pondo em cheque algo que nem ainda nem começou. Existem cinco passos que podem ajudar a minimizar e esclarecer essas dúvidas.

Se conseguir realizá-los, estará mais pronto e preparado para entrar de cabeça no negócio.

Identifique oportunidades no mercado: Seja na área de atuação, ou em uma totalmente distinta, ideias surgem a partir da identificação de uma carência ou dificuldade existente no mercado, e que através de uma solução conseguirá resolver esse problema. Também há possibilidade de aprimorar e melhorar um negócio já existente, e crescer dentro dele, a partir disso, começa a tomar forma o embrião de um negócio.

Mude sua mentalidade: Quem tem a intenção de abrir uma empresa, tem a obrigação de entender que é um mundo totalmente diferente de quem é empregado. Caso isso não aconteça, existirão dificuldades. Um negócio exige muito tempo, recursos financeiros, maior exposição a riscos, capacidade de gerir pessoas, atenção aos movimentos do mercado, noções de gestão financeira e etc. Mas não se assuste! Quando há disposição para pagar esse preço, o resultado é gratificante e compensatório.

Faça um plano de negócio: O plano de negócio é uma ferramenta importantíssima, para quem vai abrir uma empresa e também para quem já tem. Ele serve para mapear todas as verticais do negócio, ajudando a embasar tomadas de decisão, medir riscos e oportunidades, analisar necessidades de recursos, pontos de estratégia, concorrência e etc.

Hoje, existem diversos recursos e materiais que ajudam a nortear a elaboração de um plano, porém, certamente encontrará de forma genérica. Mas quando falamos de uma empresa, a especificidade é chave para o sucesso.

Poderão ser usados modelos e bases para norte, mas sempre olhar para dentro da realidade, do mercado, para que fique mais específico e realista possível.

Se necessário, conte com uma assessoria especializada para que juntos tracem a melhor estratégia.

Identifique os recursos necessários: Essa etapa é bem trabalhada dentro do plano de negócio. Mas damos um destaque a ela. Quando falamos em recursos, naturalmente pensamos em dinheiro, recurso financeiro, mas, o recurso dentro de uma empresa, vai muito além disso, qual tempo que essa empresa irá demandar? Qual a necessidade de pessoal, empregados diretos e prestadores de serviços indiretos? Quais os equipamentos necessários? Quais os insumos que preciso para produzir ou prestar o serviço? Enfim, são várias vertentes para serem observadas.

Existe também uma outra situação muito específica. Muitos têm ideias brilhantes para negócio, mas nem sempre têm a cabeça voltada ao empreendedorismo, ou de certa forma, não são abertos a assumirem riscos.

Para esses casos, está sendo cada vez mais comum a busca por um sócio, para que haja a união da ideia de negócio com a capacidade de gerir e visão estratégica. A boa escolha de um sócio para o negócio, sempre soma. Diferente do que muitos pensam, que é a divisão. Bem melhor ter uma parte do muito, do que ter tudo do nada, não é mesmo?


Tenha parceiros estratégicos: Contar com pessoas para ter suporte, do plano de negócio ao desenvolvimento das atividades é essencial. Sócios, bons fornecedores, bons funcionários, enfim, todos que venham a contribuir positivamente para seu sucesso.

Não menos importante, contar com uma assessoria contábil especializada contará muito para que esse crescimento aconteça de forma menos onerosa, justa e dentro da lei.

Assista agora: Como abrir um CNPJ

ESTOU COMEÇANDO, O QUE É MELHOR PARA MIM?

Feito toda a análise e viabilidade, chega a hora da formalização da empresa, existe muita dúvida em torno de uma abertura de CNPJ, seja em relação a custos, tributação e etc, afinal, compensa abrir uma empresa? Ou posso trabalhar com o CPF mesmo?

A verdade é que não existe uma resposta correta. Dependendo do que faz, nem se quer poderá trabalhar usando CPF. Em outros casos, acaba não compensando, pois a tributação brasileira de imposto sobre a renda de pessoa física é bem alta.

A resposta para isso tudo, é que no início, deve aliar a facilidade com o baixo custo. Obviamente, sem deixar de observar a legislação e seus preceitos.


Uma análise bem feita por profissionais, irá indicar o melhor rumo a seguir para iniciar seu sonho de empreender, dentro da lei e com menor impacto.

ANALISANDO MINHA ATIVIDADE

Sua atividade dirá muito sobre como irá acontecer a formalização.
Atualmente, há uma grande busca por parte dos empresários para que haja o enquadramento como MEI – Micro Empreendedor Individual, visto que esse formato é o mais barato e simplificado.

Acontece que essa busca incessante esconde alguns perigos. A grade de atividades permitidas é restrita, havendo permissão para classes seletas, como por exemplo carpinteiros, digitadores, pintores e pequenos comerciantes.

Caso não entre em nenhuma das restrições para ser MEI, compensa e muito iniciar o negócio nele, pelos benefícios de baixo custo e simplicidade na formalização mencionados anteriormente

Porém muitos não se enquadram, mas mesmo assim se formalizam como MEI utilizando atividades diferentes da que executa, apenas para ter o CNPJ e em sua consciência estar “regular”. Outros acabam sonegando faturamento para se manter dentro do limite permitido na MEI.

A análise, o enquadramento e a formalização correta da atividade, livra de riscos desnecessários, que podem acabar com seu negócio mesmo que ainda esteja iniciando-o.

ENQUADRAMENTO TRIBUTÁRIO

Existem algumas possibilidades de enquadramento tributário no Brasil, dentre eles, o melhor será aquele que trará menor carga tributária possível.

Hoje temos MEI, simples nacional, lucro presumido e lucro real. Cada qual com suas características e particularidades.

MEI é a opção mais simples e barata, desta forma muito buscada, porém existem algumas restrições que impedem alguns empresários de se formalizar como MEI.

Quem já é sócio de um outro negócio, fica impedido de ser MEI. Quem necessite registrar mais que um funcionário, também já não consegue enquadramento, mas os dois motivos mais comuns que impedem ser MEI, é o enquadramento da atividade e o limite de faturamento.

Você pode encontrar as atividades permitidas através de um link direto do governo: https://www.gov.br/empresas-e-negocios/pt-br/empreendedor/quero-ser-mei/atividades-permitidas.

Em relação ao limite de faturamento, atualmente é de 81 mil reais por ano, sendo R$ 6.750,00 por mês. Ultrapassando esse limite, é vedado enquadramento como MEI.

O simples nacional é o segundo degrau no quesito facilidade, mas não necessariamente em custos

Nesse regime, também há algumas restrições de atividades, porém bem poucas comparado ao MEI. Vale destacar que todas as atividades de MEI podem ser simples nacional se for por opção do empresário ou por motivos de proibição de enquadramento.

O limite de faturamento do simples nacional está na casa de R$ 4,8 milhões por ano. As alíquotas de impostos são divididas por classes que separam indústrias, comércios e prestadores de serviço. Cada classe tem seu percentual específico.

O simples nacional pode ser ideal e mais barato até certo ponto. Dependendo da atividade, média de faturamento e outros detalhes como custos de manutenção do negócio, pode ser mais vantajoso o enquadramento no lucro presumido ou o real, que são regimes pouco mais trabalhosos e complexos, mas nada que deva preocupar.

A análise tributária bem realizada, levando em consideração todos os aspectos citados, fará economizar tempo e dinheiro.

Saiba mais: Conheça nossos planos

COMO FAZEMOS PARA ABRIR O SEU CNPJ

Aqui na Prímor abrimos empresas há mais de 62 anos. Nesse tempo aperfeiçoamos métodos e usamos o que mais de novo existe de tecnologia para aprimorar esse processo.

Primeiramente buscamos entender sua necessidade, saber o que busca, qual seu objetivo com a empresa. Sentirá nessa primeira conversa o real interesse que temos em contribuir com seu desenvolvimento.

A partir disso, partimos para informações práticas e técnicas. Sua atividade, projeção de faturamento, quantidade de funcionários, por exemplo, nos darão base para realizar a análise técnica de enquadramento e regime tributário ideal.

Feita análise de todas essas verticais, com projeções futuras e de forma comparativa, indicamos em números o enquadramento mais adequado no momento.

Vale ressaltar que ao longo das atividades da empresa, realizamos análises periódicas a fim de validar se ainda é viável o enquadramento atual, ou se é adequado a mudança, visando economia tributária.

Definido e validado esses pontos, iniciamos a parte prática. Realizamos as inscrições e todo o trâmite legal junto à Receita Federal e Estadual, Junta Comercial, prefeitura, vigilância sanitária, corpo de bombeiros e órgãos de classe em casos necessários.

Por mais que seja um processo robusto, fazemos acontecer rapidamente. Há casos em que dentro de 3 dias já temos os processos realizados e a empresa pronta para funcionar.

QUAIS OS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS?

A parte documental é bem simples. Pontualmente solicitamos apenas o que vamos utilizar no processo, enviamos um formulário via Google Forms, onde basicamente com esse preenchimento, ganhamos muito tempo.

Na prática, os documentos necessários para abertura de um CNPJ consistem em:

  • Certificado digital eCPF, que nós mesmo validamos para o cliente;
  • CNH, se possuir;
  • RG;
  • CPF;
  • Título eleitoral;
  • Imposto de renda pessoa física, em casos pontuais;
  • Comprovante de endereço dos sócios e da empresa;
  • Número do cadastro imobiliário do prédio da empresa;
  • Cédula de registro profissional, em casos específicos.

Nós orientamos previamente cada cliente sobre a necessidade dos documentos.

A grande maioria das aberturas se resumem a esses documentos, em caso de necessidades e exigências de outros documentos por parte de órgãos competentes, solicitamos junto ao empresário para cumprir tal obrigação.

Fale hoje mesmo com nosso time e abra hoje mesmo sua empresa, conte com a empresa que há anos atende diversos negócios em todo Brasil, ajudando diversos empreendedores a formalizarem o seu negócio!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *